Capturar

TRAILER DO FILME SUPERMAN

Veja os vencedores do Festival de Cannes de 2013

A atriz Lea Seydoux beija o diretor franco-tunisiano Abdellatif Kechiche, ao lado da atriz Adele Exarchopoulos, após o anúncio de que o filme protagonizado por ela e dirigido pelo cineasta ganhou a Palma de Ouro em Cannes (Foto: Alberto Pizzoli / AFP)

O júri do Festival de Cannes, na França, anunciou neste domingo (26) os principais vencedores de sua edição de 2013. O ganhador do prêmio mais esperado do evento, Palma de Ouro, foi “La vie d’Adele”, do diretor franco-tunisiano Abdellatif Kechiche.O longa vencedor da Palma de Ouro narra o despertar sexual e a paixão lésbica de uma adolescente por uma jovem de cabelos azuis. O filme ganhou o título em inglês de “Blue is the warmest colour”.

O prêmio ao filme sobre paixão lésbica foi concedido no mesmo dia de um novo evento em Paris organizado por opositores ao casamento gay, recém-autorizado na França.

Adaptado livremente de uma HQ escrita por Julie Maroh, o filme tem as cenas sexuais mais gráficas e apaixonadas entre duas mulheres já vistas em Cannes, de acordo com a agência de notícias France Presse.

O filme usa recorrentes imagens em close-up dos lábios da atriz Adele Exarchopoulos, seja dormindo, comendo ou beijando sua parceira, interpretada por Lea Seydoux, numa técnica que cria uma ligação entre o espectador e a personagem.

A atriz francesa Adele Exarchopoulos, estrela de 'La vie d'Adele', filme que venceu a Palma de Ouro de Cannes neste domingo (26) (Foto: AFP PHOTO / LOIC VENANCE)A atriz francesa Adele Exarchopoulos, estrela de
‘La vie d’Adele’, filme que venceu a Palma de Ouro
de Cannes neste domingo (26) (Foto: AFP PHOTO
/ LOIC VENANCE)

Kechiche disse, após a exibição do filme em Cannes, que não teve medo de retratar o amor entre duas mulheres, mas o que impactou e conquistou a crítica foi o retrato psicológico e emocional das protagonistas. Rodado em Lille, norte da França, o drama já teve os direitos vendidos para um distribuidor americano, apesar das três horas de duração.

O júri desta edição de Cannes foi liderado por Steven Spielberg. Ele afirmou que o prêmio é o reconhecimento pelo trabalho de três artistas: o de Kechiche e o das duas atrizes protagonistas, as francesas Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux.

“Nós nos sentimos privilegiados de assistir a esse filme, e não incomodados (…) É a história de um amor profundo, magnífico. O diretor usou uma narrativa ousada. Ficamos encantados com o filme, com as atrizes formidáveis. O diretor permitiu que as personagens realmente ganhassem vida”, declarou Steven Spielberg durante a entrevista coletiva à imprensa após a cerimônia de encerramento.

Lea Seydoux emocionada após 'La vie d'Adele' ganhar a Palma de Ouro (Foto: Yves Herman/Reuters)Lea Seydoux emocionada após ‘La vie d’Adele’
ganhar a Palma de Ouro (Foto: Yves Herman/
Reuters)

“Não é a política que nos influenciou, mas o filme”, frisou ainda Spielberg, no mesmo dia que em Paris a grande manifestação contra o casamento homossexual era realizada.

Abraçados e chorando no palco, as duas atrizes e o diretor agradeceram pela Palma, recebida pelo filme favorito no festival, uma coprodução de Espanha, França e Alemanha.

“Eu gostaria de dedicar (o prêmio) à bela juventude que conheci, gente que me ensinou muito sobre o espírito de liberdade e também à outra juventude, por algo que aconteceu não faz muito tempo, a revolução tunisiana, por sua aspiração de viver com liberdade, se expressar livremente e amar com plena liberdade”, disse Kechiche ao receber o prêmio, emocionado.

Veja abaixo a lista de vencedores:

Palma de Ouro: “La vie d’Adele”, de Abdellatif Kechiche.

Grand Prix: “Inside Llewyn Davis”, dos irmãos Coen.

Melhor diretor: “Heli”, de Amat Escalante.

Câmera de Ouro (Para diretores estreantes): “Ilo Ilo”, de Anthony Chen.

Melhor ator: Bruce Dern, de “Nebraska”.

Melhor atriz: Bérénice Bejo, de ‘Le passé”.

Melhor roteiro: Jia Zhangke, de “A touch of sin”.

Prêmio do júri: “Like father, like son”, de Hirokazu Kore-Eda.

Palma de Ouro de melhor curta-metragem: ‘Safe’, de Moon Byoung-Gon.

Atores Jeremie Laheurte e Adele Exarchopoulos, director Abdellatif Kechiche, atriz Lea Seydoux e produtor Brahim Chiouaj, da equipe de 'La vie d'Adele' (Foto: AFP PHOTO / LOIC VENANCE)Atores Jeremie Laheurte e Adele Exarchopoulos, director Abdellatif Kechiche, atriz Lea Seydoux e produtor Brahim Chiouaj, da equipe de ‘La vie d’Adele’ (Foto: AFP PHOTO / LOIC VENANCE) Fonte: G1

“Carrossel” surpreende, dispara no ibope e deixa o SBT vice-líder

A personagem Maria Joaquina (Larissa Manoela; à esq.) chega à escola na versão de "Carrossel" (SBT)
A exigência extraoficial do SBT era que a novelinha “Carrossel”, que estreou nesta segunda-feira, marcasse no mínimo sete pontos de média. Mas a história reescrita por Íris Abravanel foi muito além.Dados em tempo real do ibope apontam que a novela infantil marcou de 11 a 12 pontos de média na Grande São Paulo (cada ponto vale por 60 mil domicílios sintonizados), com picos de até 14 pontos.A novelinha mais que dobrou os números habituais do SBT, que costumava dar 5 pontos no horário.Curiosamente, o público que “Carrossel” atraiu na estreia não saiu de nenhuma outra emissora.No momento da exibição, a Globo liderava com 35 pontos de média com o “Jornal Nacional” e a Record manteve a média habitual de oito pontos no “Jornal da Record”.Uma das hipóteses seria que a novelinha atraiu um público infantil que, no horário, estaria assistindo a desenhos na TV paga.

Ainda é cedo para saber se “Carrossel” vai decolar de vez em audiência, mas a estreia, pelo menos, foi auspiciosa.


O governador Marconi Perillo e representantes do Consórcio Odebrecht/Via Engenharia, responsável pelo projeto e a direção da Infraero, discutiram a retomada das obras de construção do novo aeroporto Santa Genoveva.

A retomada do projeto executivo foi autorizada pelo Tribunal de Contas da União no último dia 4 de abril. Com isso, a Infraero e o Consórcio trabalham para a conclusão dos projetos orçamentário e executivo, já contemplando a adequação e ampliação do aeroporto.

De acordo com o governador Marconi Perillo, a expectativa é a de que no máximo em 60 dias seja concluída a parte estrutural do projeto. “Após, teremos a parte de acabamento. Com isso, esperamos que, com a aceleração do projeto executivo, as obras sejam iniciadas no final deste primeiro semestre”, declarou.

A previsão é de que a primeira etapa do novo terminal seja entregue em 2014. Numa etapa posterior devem ser feitas as adaptações para corrigir a defasagem em termos da logística aeroportuária, com possibilidade do aumento do número de esteiras de desembarque e a ampliação da pista, que poderá até mesmo transpor a BR-153.

Fonte: Gyn Online
Foto: Leoiran

Eletrobrás vai investir R$ 1 bilhão na Celg

Ministro Edison Lobão elogia esforço dos governos estadual e federal para recuperar a empresa.

Nos próximos dias – provavelmente na próxima segunda-feira – mais R$ 1,3 bilhão estará na conta da Celg, correspondendo à segunda tranche de um acordo firmado com a Eletrobrás, que passa a controlar 51% das ações da empresa, na qual fará investimentos de R$ 1 bilhão nos próximos cinco anos. O anúncio foi feito ontem pelo governador Marconi Perillo, após se reunir em Brasília com o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, selando definitivamente o acordo entre o Estado e o governo federal para a recuperação da Celg.

O ministro Lobão elogiou o governador Marconi Perillo e a presidente Dilma Rousseff pelo empenho na realização dessa negociação, que segundo ele será muito importante para o desenvolvimento de Goiás, “um estado promissor e que vem se destacando muito no cenário nacional”. Elogiou também do empenho dos dois governos em resolver as questões técnicas que ainda emperravam o acordo e que poderiam ocasionar um trágico desfecho para a negociação.

Marconi agradeceu o ministro e reforçou os elogios ao empenho da presidente Dilma para que o acordo fosse definitivamente fechado. “Estamos virando uma página de dificuldades em nosso estado”, observou Marconi, acrescentando que com os novos aportes na Celg serão abertas diversas possibilidades de investimento, contribuindo ainda mais para a continuidade do arrojo de desenvolvimento que Goiás vem experimentando. Ele pediu também o empenho do governo federal na antecipação da terceira tranche, que está prevista para ser quitada em janeiro do próximo ano.

O acordo total é de R$ R$ 3,527 bilhões, sendo que a primeira parcela, via empréstimo da Caixa Econômica Federal ao Tesouro Estadual, de R$ 1,7 bilhão, foi quitada no final de dezembro do ano passado. “Estou satisfeito com a concretização dessas negociações. Resolvemos os últimos impasses e abrimos caminho para um novo horizonte na Celg”, ressaltou Marconi.

Fonte: Jornal O Hoje

VLT de Goiânia é um dos contemplados com PAC da Mobilidade Urbana

O projeto do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) de Goiânia será um dos contemplados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a área de mobilidade urbana nas grandes cidades. O anúncio foi feito pela presidente Dilma Roussef nesta terça-feira, em Brasília. O primeiro aporte de recursos para a capital deve ser de R$ 215 milhões.

Dilma defendeu a necessidade de ampliar os investimentos na construção de metrôs para dar mais agilidade e conforto aos usuários do transporte urbano.

“O Brasil tem que investir em metrô. Antes, as cidades não tinha condições de fazer isso porque era muito caro. Hoje, os governadores têm enorme dificuldade para construir metrôs com a cidade funcionando. É um duplo desafio”, disse a presidenta. “Além disso, temos que olhar pelo lado sustentável, garantir menos tempo de vida a ser perdido pelas pessoas em um transporte de menor custo e de melhor adequação ao meio ambiente”

Ao apresentar o que chamou de “matemática humana do projeto”, o ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, reiterou que os canteiros de obras ligados a essa vertente do PAC vão gerar milhares de empregos. “Mas, além do novo traçado urbano, vamos deixar um legado muito importante se considerarmos que hoje os brasileiros ficam quatro horas por dia no trajeto casa-trabalho”.

“Em muitas situações será possível fazer esse mesmo trajeto em apenas uma hora”, acrescentou o ministro. “Isso significa que, na vida, serão três anos que deixarão de ser desperdiçados. Tempo livre que poderá ser dedicado a descanso, estudo e para ficar com os seus”, completou.

O PAC Mobilidade Urbana vai destinar R$ 32 bilhões – dos quais R$ 22 bilhões têm como origem recursos do governo federal – para projetos de metrô, veículo leve sobre trilho (VLT) e corredores de ônibus que beneficiam moradores de cidades com mais de 700 mil habitantes.

Entre as obras previstas estão a construção de mais de 600 quilômetros (km) de corredores exclusivos para ônibus, pelo menos 380 estações e terminais para esse tipo de transporte, além de 200 km de linhas de metrô e da aquisição de mais de 1.000 veículos sobre trilhos.

Com informações da Agência Brasil. (Portal 730)

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120423070943.jpg Na noite deste domingo (22), o “Pânico na Band” causou grande repercussão por conta de uma de suas atrações. O programa repaginou o cabelo de todas as novas Panicats, que repicaram, cortaram e mudaram de cor – uma delas até pintou as madeixas de pink. Porém, a maior surpresa ainda estava por vir. Durante toda a edição, o “Pânico” perguntou aos internautas se Babi Rossi deveria cortar o cabelo careca, como Marcelo Tas, ou deixar um moicano, assim como o jogador Neymar. Chegada a hora, Emílio Surita deixou a Panicat escolher. Após tentar se esquivar e reclamar, Babi optou pela primeira opção. Imediatamente, um cabeleireiro no palco passou a máquina nos longos cabelos loiros dela, que ficou totalmente careca chocando muitos telespectadores.

Reprodução/ Band

Inicialmente, Babi ficou triste com a mudança forçada, mas pouco depois se conformou e até riu da situação. Ao término do programa, ela dançou normalmente com as demais Panicats, sorrindo. Em termos de audiência, a brincadeira do “Pânico” fez sucesso. No período em que a pauta era o cabelo das assistentes de palco, o programa liderou e chegou a alcançar pico de 16 pontos no Ibope. Já em sua média geral, das 21h até por volta de 23h50, o “Pânico na Band” teve 10 pontos, contra 16 da Globo, 12 da Record e 9 pontos do SBT, segundo índices prévios da Grande SP. No Twitter, a repercussão foi imediata. Os internautas ficaram divididos. Alguns acharam graça da atração e reforçou a tese de que o “Pânico” sempre foi assim. “A babi careca ta mais linda que metade de voces suas recalcadas”, escreveu @fs_maaari.  @letbarcelos disse: “A Babi raspou pq quis, poderia muito bem ter saído como arregona”. “Vcs acham mesmo que a babi e uma coitada? Pelo amor de Deus o que ela deve ter de dinheiro na conta pra ter raspado o cabelo e sacanagem”, opinou @camilladias_f. “Vocês tem que entender que eles querem é audiência, a babi faz parte do pânico, logo ela também quer audiência. E isso é = a dinheiro!”, acredita @_tainalima7. Por outro lado, outros internautas acharam muita apelação. “Loucura a babi ter raspado o cabelo.. Acho desnecessário”, escreveu @duuda_aquino. @josylbsc disse: “Que absurdo fazerem isso a Babi que brutalidade e sacanagem, logo com a paniquete mas gente boa”. “Panico ta apelando demais, não curti deixar a Babi careca, ela chorando não foi legal! #forapanico”, opinou @Fe_eio. Após o programa, Babi afirmou ao blog do programa que nunca imaginou ser tão corajosa: “Nunca achei que seria tão corajosa, mas acho que esse é o espírito do programa, me deixaram muito à vontade para eu fazer o que quisesse e eu sou assim: me entrego mesmo ao trabalho, àquilo que me proponho a fazer”. FONTE:NATELINHA

O COMENTANDOAGORA vai prestar uma homenagem a uma grande emissora que se foi, extinta em maio de 1999 mais que deixou um vazio cultural muito grande no país.

Finalmente em 5 de junho de 1983, domingo, entrou no ar a Rede Manchete de Televisão. Com cinco emissoras, nas cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo, Recife e Fortaleza, e também uma forte afiliada, a TV Pampa de Porto Alegre, a programação da nova rede foi aberta por Adolpho Bloch com um pronunciamento onde o empresário mostrou aos telespectadores o resultado de dois anos de investimento. Depois de saudar cada uma das emissoras concorrentes, Adolpho Bloch fechou o discurso com a seguinte frase: “Deixo com vocês, meus amigos, a Rede Manchete de Televisão. Ela está no ar”.
A partir desse momento uma imagem impactante invadia os lares do Brasil: o logotipo da Manchete sobrevoava várias cidades do país como uma nave espacial, numa vinheta futurista, acompanhada de uma música caracteristicamente jovem. O logotipo, depois de sobrevoar as cidades onde a rede possuía emissoras, pousava sobre o prédio da sede carioca: um espanto! A vinheta de abertura da Rede Manchete insinuava um nível tecnológico inédito na TV Brasileira. A emissora possuía um departamento gráfico, denominado Manchete Computers Graphics, que era considerado um dos mais modernos do mundo.
Manchete Computer Grafics

Os equipamentos importados de última geração caracterizavam a Manchete como a emissora de Televisão mais avançada da época. Adolpho Bloch precisou de dois anos para equipar a rede. Projetos Gráficos e Designs ficavam por conta de uma divisão interna denominada Manchete Computer Grafics, capitaneada pelo americano Samuel Tolbert e por Toni Cid Guimarães (atualmente na Globo). Tolbert criou toda a instalação da emissora e implantou todos os grandes projetos da rede. Na época, ele tinha uma emissora nos Estados Unidos e foi ainda o criador do sistema de microondas que transmitiu a chegada do homem à Lua. O “Manchete Computers Graphics” era um dos mais avançados departamentos gráficos do mundo.
Logo após a abertura foi exibido um show intitulado “Mundo Mágico”, que ameaçou a liderança, ficando em muitos momentos com uma audiência superior à do “Fantástico”. O show foi exibido das 20h às 22h, e tinha a intenção de mostrar o que seria a nova emissora: Adolpho Bloch prometia uma emissora baseada em no dueto programação de qualidade (não popular) e alta tecnologia.
O Show não parou por aí. Às 22hs, entrava no ar a superprodução inédita “Contatos Imediatos de Terceiro Grau”, de Steven Spilberg. A partir de então, a recém-nascida Manchete liderou a audiência, ficando cravando 29 pontos de audiência, ultrapassando a TV Globo.
Do ponto-de-vista da concorrência, o que surgia era uma emissora com plástica jovem, audaciosa, com profissionais de ponta e tecnologicamente incomparável. A Manchete parecia preparada conquistar importante colocação nos quesitos de audiência e de faturamento.
Estava no ar a “Televisão de Primeira Classe” ou “TV do ano 2000”, como anunciavam seus slogans.
 A Manchete estreou com uma programação que contava basicamente com o tripé formado por jornalismo, filmes e musicais. O Jornal da Manchete em muito lembrava a recém-inaugurada CNN dos EUA. A programação traria premiadas séries americanas como “Os Caçadores de Aventura” e “Fama”, além de filmes de renome como “Guerra nas Estrelas” e “Terremoto” e ainda consagradas produções do cinema mundial.

Jornal da Manchete
O Jornal da Manchete era o carro-chefe da programação da emissora, e tinha ao todo 2 horas de duração. Era composto por três módulos: Manchete Panorama (entretenimento), Manchete Esportiva, Manchete Internacional e Jornal da Manchete.
O carro-chefe da programação da emissora era apresentado do Rio de Janeiro por Carlos Bianchinni e Ronaldo Rosas.
Já a segunda edição do jornal, que ia ao ar depois da meia-noite, era gerado de São Paulo com apresentação de Roberto Maya e Luiz Santoro.

Além do jornal, musicais, filmes e séries, estreou também o Clube da Criança, um programa infantil comandado pela então modelo Xuxa Meneghel. O formato, inovador na TV Brasileira, misturava números musicais, brincadeiras, desenhos animados e a presença constante das crianças no palco. Xuxa foi orientada pelo palhaço Carequinha, que deu toques circences à atração. O programa era exibido diariamente, das 17h às 19h.

Clube da Criança
O Clube estreou em 1983, das 17h às 19h, e marcou a estreia do formato de prorama infantil que faria sucesso no país pelas décadas de 80 e 90. Também lançou Xuxa como apresentadora, que devido ao sucesso alcançado pelo programa, foi contratada em 1986 pela TV Globo para apresentar um programa nos mesmos moldes. O Clube continuou sob o comando de Angélica. A última versão do programa foi ao ar em 1998, com Débora Lagranha (Debby).
Roberto D’Ávila chegou a entrevistar Fidel Castro

Outro programa importante no ano da estreia foi o Conexão internacional, com Roberto D’Ávila. A cada nova edição, o jornalista entrevistava uma personalidade. O programa teve grande repercussão, e chegou a entrevistar o ex-ditador cubano, então presidente do país caribenho, Fidel Castro.No final do ano entrou no ar a revista eletrônica Programa de Domingo. Além das principais notícias do domingo, o programa tinha um forte apelo cultural cobrindo artes, espetáculos, teatro e cinema, além de matérias sobre cotidiano, comportamento, saúde e outros temas pertinentes.

Bar Academia
O Bar Academia estreou no dia 15 de agosto de 1983, apresentado por Walmor Chagas e dirigido por Maurício Shermman. A idéia era valorizar a MPB, criando um ambiente onde os artistas pudessem mostrar seu talento em um clima de bate-papo. O cenário tinha uma mesa de bar com imagens de artistas consagrados ao fundo. O programa tinha ainda como entrevistadores o jornalista Sérgio Cabral e o Poeta Geraldo Carneiro. Recebeu artistas de renome, como Tom Jobim, Chico Buarque, Maria Bethânia e Gilberto Gil.

CURIOSIDADES E A VISÃO GERAL SOBRE UMA DAS NOVELAS DE MAIOR SUCESSO DA EMISSORA “XICA DA SILVA”

No dia 16 de setembro de 1996, entrou no ar a novela que traria de volta a Manchete para o terceiro lugar no ranking da televisão brasileira. Com uma programação extremamente popular e tendo como sua base programas jornalísticos, a Manchete parecia estar se recuperando de suas crises.
A direção da emissora estava decidida a investir em tramas adapatadas de obras literárias de grande sucesso. Procurando uma novela forte, que mantivesse a audiência de “Tocaia Grande”, Walter Avancinni pensou primeiramente em desenvolver uma novela derivada de três livros de Machado de Assis, projeto nomeado internamente como “Paixão”. Mas apesar da força apresentada pela sinopse central, a novela ficaria muito cara, extrapolando o orçamento disponível. A direção da TV, então, passou para a segunda opção: uma adaptação do romance “Xica que manda”, de Agripa Vasconcellos, cuja estória central, além de forte e atraente, ia de encontro à crescente tendência de movimentos de valorização da cultura afro no Brasil.

Chamada de estréia de Xica da Silva

Sendo assim, Avancinni começou o que seria para ele “a superprodução da década de 90”. Várias cenas foram gravadas em Minas Gerais, mostrando a natureza de rara beleza da região da chapada da Diamantina. Mais uma vez algumas das armas utilizadas para chamar a atenção do público foram o  erotismo e a forte retratação histórica, com a tradicional riqueza de detalhes das produções de época da Manchete. Para tanto, a emissora investiria em torno de 6 milhões de dólares e uma cidade cenográfica foi erguida em Maricá, onde estaria retratada a cidade do “Arraial do Tijuco”.
Tudo pronto para o início das gravações e ainda faltava um importante detalhe: a escolha da protagonista. Depois de uma rigorosa seleção por todo o país, o diretor descobriu que sua “Xica da Silva” estava ali mesmo, dentro da emissora. Tratava-se de Taís Araújo, que terminava as gravações de “Tocaia Grande”, onde vivia a personagem Bernarda.
Mesmo muito nova para o papel(a moça tinha 17, enquanto a personagem tinha por volta de 25), Taís surpreendeu, ganhando projeção nacional e sendo reconhecida pela crítica. No papel de sua mãe estava Zezé Mota, que vivera, nos anos 70, a Xica do cinema.

Xica da Silva teve médias em torno dos 18 pontos, com picos de 22, garantindo o segundo lugar de audiência, e recolocando a Manchete na terceira posição do ranking geral da TV Brasileira. A novela foi exportada para diversos países.

Um dos fortes momentos da novela aparece quando Maria, mãe de Xica, é morta, tendo seus braços e pernas amarrados a quatro cavalos que, assutados por um tiro disparado pelo sargento-mor, correm em direções contráias, esquartejando o corpo da negra em plena praça pública. Além dessa, as cenas que envolviam as bruxarias de Benvinda(Miriam Pires) e Violante(Drica Moraes) também não economizaram em tecnologia e realismo.

Abertura original da novela

As protagonistas deram um show à parte. A antagonista branca e amargurada Violante, foi interpretada de forma exemplar por Drica Moraes, que com o papel, provou não saber fazer apenas comédia. A protagonista negra também foi interpretada com brilhantismo por Taís Araújo, que surpreendeu a todos, sendo, até então, uma atriz deconhecida para muitos.
As cenas de nudez ganharam destaque na trama. Adriane Galisteu foi quem mais apareceu nessa condição. Sua personagem Clara vivia semi-despida perambulando pelos riachos da chapada. Taís Araújo, por sua vez, durante alguns meses não tinha idade sufieciente para aparecer nua. Mas quando ela fez 18 anos, Wlalter Avancinni comemorou, e o assunto foi, inclusive, capa da revista Manchete (“Xica da Silva faz 18 anos”).
A novela contava ainda com um enorme clima de suspense por trás das câmeras. O diretor Walter Acancinni escondeu, durante muito tempo, a identidade do autor da novela. Especulava-se, na época, que poderia ser algum autor famoso de outra emissora, que estaria usando o pseudônimo de Adamo Angel. O suspese começou porque ninguém nunca tinha ouvido falar no tal autor, e a qualidade do texto demonstada intrigava os profissionais do setor. A identidade só foi revelada meses depois. da estréia. Adamo era, na realidade, Walcyr Carrasco, funcionário do SBT, que acabou sendo recontratado pela emissora de Silvio Santos como autor titular de novelas, lançando em 1998 a novela Fascinação (com Regiane Alves).
“Xica” chegou ao fim no dia 18 de agosto de 1997, ficando ao todo por 11 meses no ar. Contou ainda com participações especiais, como a da atriz italiana Cicciolina, além de Sérgio Viotti, Sérgio Brito, Lu Grimaldi e Ângela Leal, entre outros.

Clipe de relançamento de Xica da Silva, pelo SBT em 2005

A novela foi comprada pelo SBT em 2004, das mãos de Pedro Jack Kapeller, que ainda possuia boa parte do acervo da Manchete em seu poder. Os programas produzidos a partir de 1995 pertencial teoricamente à Bloch Som & Imagem, uma empresa que não foi à falência com a TV Manchete. Silvio Santos recorreu a novela da Manchete para tentar frear o crescimento da Record, que fazia sucesso com a novela Escrava Isaura. Xica foi reexibida na faixa das 21h15 e alavancou a audiência do canal com médias de 15 pontos, garantindo o segundo lugar isolado. O canal tentou camuflar a informação de que a novela tinha sido produzida por outra emissora, e relançou a novela com uma nova abertura e uma nova música-tema.

A próxima exposição agropecuária de maio não terá rodeio, uma prática que costuma agradar agalera rural. A informação é do presidente da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura. Ricardo Yano justifica a ausência dessa prática na arena do Parque Agropecuário de Goiânia pelos “altos custos” e à questão ambiental. “O rodeio não propicia nenhum retorno financeiro e desagrada aos ambientalistas, hoje na cola dos produtores rurais”, alega Yano.

Segundo ele, a programação de shows está em andamento, podendo ser fechada nos próximos dias. Michel Teló, Paula Fernandes são alguns dos nomes confirmados para apresentação na 67ª Exposição Agropecuária de Goiás, prevista para o próximo mês. Belos animais das raças Mangalarga e Quarto de Milha estarão participando das provas de hipismo bem como o que há de melhor do gado Tabapuã, observa o presidente da SGPA.

As representações diplomáticas de Portugal e da Argentina estarão marcando presença na maio feira do agronegócio do Centro-Oeste. Com relação à segurança pública no período da festa, Yano informou que manteve audiência, ontem, 11, com o secretário da área, recebendo o apoio necessário das policias Civil e Militar. O objetivo é assegurar a ordem no interior do Parque e fora.Hoje, 12, Yano concedeu entrevista à Tv. Bom Negócio, sediada em Anápolis, e recebeu o superintendente do Banco do Brasil,Neirin Goulart Duarte, e João Bosco, da área de Crédito Rural em Goiânia. As autoridades financeiras foram recebidas no Salão do Produtor por praticamente toda a diretoria, liderada por Ricardo Yano, Pedro Alves de Oliveira, Cláudia Passos, Guto Guedes e Adilon de Souza. O superintendente do BB colocou toda a linha de crédito do banco à disposição dos expositores e criadores de Goiás.

Local: Parque Agropecuário Dr. Pedro Ludovico

– Shows:

18/05 – ainda não confirmado
19/05 – Cavalgada
19/05 – João Bosco e Vinícius
23/05 – Cristiano Araújo
24/05 – Thiaguinho
25/05 – Eduardo Costa
26/05 – Michel Teló
31/05 – ainda não confirmado
01/06 – João Neto e Frederico
02/06 – Paula Fernandes

Assessoria de Imprensa da SGPA.