Preço do etanol começa a cair em Goiânia

Publicado: 2011/04/07 em Uncategorized

Após cinco altas consecutivas, desde o mês dezembro do ano passado, o preço do etanol começou a baixar em alguns postos de combustível de Goiânia. Isso, depois de atingir o valor de R$ 2,49, o mais alto desde 1975, quando foi instituído o Programa Nacional do Álcool.

O produto já pode ser encontrado a R$ 2,39, uma queda de R$ 0,10. De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindposto), Leandro Lisboa, o início, ainda tímido, da colheita da cana-de-açúcar, e o escoamento do combustível estocado nas usinas, seriam o motivo da queda no preço do combustível.

Mesmo não apontando outras justificativas, Lisboa acredita que a tendência é que os preços continuem caindo. O aumento no preço do etanol nos últimos quatro meses foi de 47,3%, passando de R$ 1,69, em dezembro, para R$ 2,49, em abril.

Foto mostra atirador com barba comprida, um mês antes de ataques.

Foto mostra atirador com barba um mês antes de ataques (Reprodução/TV Globo)

A polícia vai investigar a rede de contatos na internet do homem que assassinou 12 crianças na semana passada, dentro de uma escola em Realengo, no Rio de Janeiro.

Wellington demonstrava fixação em atentados terroristas.

Esta era a fisionomia do autor do massacre até o mês passado: barba comprida e olhar fixo para a câmera. A foto faz parte do perfil de Wellington Menezes de Oliveira no programa de mensagens instantâneas MSN.

O assassino se apresentava como “Wellington Treze”. Ele mantinha contato com pelo menos seis pessoas.

A Justiça já concedeu a quebra do sigilo eletrônico de Wellington junto à empresa Microsoft, responsável pelo programa MSN.

Pelas evidências que recolheu até agora, a polícia acredita que Wellington tenha agido sozinho no planejamento e na execução do massacre. As conversas do assassino na internet são a peça que falta para descartar completamente a participação de outras pessoas no crime.

“O momento agora é de verificar se ele estava sozinho e, por isso, a investigação será encerrada no âmbito da Policia Civil, ou se ele agia em coautoria ou participação de alguém e se existia alguma participação criminosa”, afirmou a delegada Helen Sardenberg, da Delegacia de Combate aos Crimes de Informática.

Goiânia tem celulares de sobra

Go­i­â­nia é a quin­ta no Pa­ís com o mai­or nú­me­ro de linhas de apare­lhos ce­lu­la­res por ha­bi­tan­tes. De acor­do com o re­la­tó­rio men­sal da Agên­cia Na­ci­o­nal de Te­le­co­mu­ni­ca­ção (Ana­tel), a ci­da­de fe­chou fe­ve­rei­ro com 131,02 aces­sos pa­ra ca­da 100 ha­bi­tan­tes, o pri­mei­ro lu­gar é de Sal­va­dor (BA), com a mai­or den­si­da­de. No mês pas­sa­do, 17 Es­ta­dos já pos­su­í­am mais de um ce­lu­lar por ha­bi­tan­te e Go­i­ás es­tá na lis­ta.
No Es­ta­do exis­tem 6,9 mi­lhões de linhas de ce­lu­la­res habilitadas. Já no Bra­sil o nú­me­ro che­gou a 207,9 mi­lhões, o que cor­res­pon­de a um cres­ci­men­to de 2,28% com re­la­ção ao ano pas­sa­do. Em nú­me­ros ab­so­lu­tos is­so sig­ni­fi­ca o mai­or au­men­to de no­vas ha­bi­li­ta­ções no mês de fe­ve­rei­ro nos úl­ti­mos 11 anos, de acor­do com da­dos da Ana­tel. Já a quan­ti­da­de de li­nhas por ha­bi­tan­tes cres­ceu em 1,11% de ja­nei­ro pa­ra fe­ve­rei­ro.
Ou­tra ci­da­de go­i­a­na que es­tá no ranking dos municípios com mai­or nú­me­ro de ce­lu­la­res é Rio Ver­de, no sudoeste do Estado, com 108,12 aces­sos a ca­da 100 ha­bi­tan­tes, ocu­pan­do o 26° lu­gar no Pa­ís. Pa­ra a pro­fes­so­ra dos cur­sos de Ci­ên­cia e En­ge­nha­ria da Com­pu­ta­ção da Pon­ti­fí­cia Uni­ver­si­da­de Ca­tó­li­ca de Go­i­ás (PUC-GO) An­gé­li­ca da Sil­va Nu­nes, o nú­me­ro de li­nhas ha­bi­li­ta­das não sig­ni­fi­ca o mes­mo nú­me­ro de apa­re­lhos ce­lu­la­res, já que se po­pu­la­ri­za­ram apa­re­lhos com mais de um chip.
RA­DI­A­ÇÃO
Com mes­tra­do na área da te­le­fo­nia mó­vel, An­gé­li­ca ex­pli­ca que o mai­or im­pac­to com o au­men­to dos aces­sos de ce­lu­lar é pa­ra o vi­su­al da ci­da­de, pe­lo au­men­to do nú­me­ro de an­te­nas, e não pe­los pro­ble­mas com a ra­di­a­ção. “Quan­do se au­men­ta a quan­ti­da­de de usu­á­rios, di­mi­nui o al­can­ce de ca­da an­te­na, por is­so ve­mos mui­tas pe­la ci­da­de”, explica. Em Go­i­â­nia exis­tem 491 antenas es­pa­lha­das em vá­rios pon­tos, de acor­do com a Ana­tel. Se­gun­do ex­pli­cou a pro­fes­so­ra, ca­da uma tem uma quan­ti­da­de li­mi­te de aten­di­men­to.
“O au­men­to de ce­lu­la­res não quer di­zer que é uma ques­tão de sa­ú­de pú­bli­ca”, opi­na. An­gé­li­ca Nu­nes de­fen­de que a ra­di­a­ção emi­ti­da pe­lo ce­lu­lar exis­te, mas é pro­por­ci­o­nal ao pe­so, ou se­ja, a quan­ti­da­de emi­ti­da é de bai­xo ris­co, con­si­de­ran­do a mas­sa de uma pes­soa adul­ta. “Um be­bê ab­sor­ve mais pe­lo ta­ma­nho”, exem­pli­fi­ca. Quan­do o apa­re­lho es­tá des­li­ga­do, ele não emi­te ra­di­a­ção, co­mo in­for­mou a pro­fes­so­ra da PUC-GO, ape­nas quan­do o ce­lu­lar es­tá fun­cio­nan­do.
O maior perigo, segundo especialistas, é quanto ao uso inadequado da bateria. Caso a substituição seja feita por produto falso ou de marca diferente, corre-se o risco de o aparelho celular explodir. Os próprios fabricantes alertam nos manuais sobre os cuidados ao realizar a troca.(OHOJE)

“MULHER PERA” ACUSA EMPRESÁRIO DE TER LHE DADO CALOTE!

Suellem Rocha a mulher pera registrou um boltim de ocorrencia nesta segunda (11) após ter feito um show em Goiânia e de não ter recebido o valor combinado.  

Segundo ela o valor a receber era  de doze mil reais combinado com empresário sem qualquer contrato assinado, e o valor recebido foi de cinco mil reais.
Procurado pela imprensa o empresário disse que o resto do dinheiro foi depositado na conta do produtor da cantora. E agora quem está falando a verdade!?
 

Suspeito de matar irmãs em Cunha é preso.

A polícia prendeu na madrugada desta segunda-feira (11) Ananias dos Santos, principal suspeito de ter matado as irmãs Josely e Juliana em Cunha, no interior de São Paulo. As duas jovens, de 16 e 15 anos, desapareceram no dia 23 de março, quando voltavam da escola na cidade do Vale do Paraíba. Cinco dias depois, os corpos foram encontrados na zona rural, a 12 km de onde moravam. Elas foram mortas a tiros.

O suspeito, que havia fugido assim que começou a ser investigado, foi preso em Cunha. Para a polícia, ele matou as irmãs em local ainda desconhecido e depois teve ajuda de duas ou três pessoas para deixar os corpos no meio da mata, em uma região de difícil acesso.

O principal suspeito pelo duplo homicídio cumpria pena no Presídio Edgar Magalhães Noronha, em Tremembé, também no interior, mas não voltou depois da saída temporária de Páscoa, em 2009. Desde então, Ananias passou a morar com os pais, na zona rural de Cunha, no mesmo bairro em que as adolescentes viviam.

De acordo com as investigações, o jovem se interessou por Juliana, fato que despertou ciúmes na namorada, vizinha da família das vítimas. O pai das meninas prestou depoimento e disse que o suspeito do crime foi à casa dele após o desaparecimento e pediu para que ele escondesse um revólver.

Obra do puxadinho no aeroporto em Goiânia deve ser retomada na segunda-feira.

Foto

As obras do Módulo Operacional Provisório (MOP) do Aeroporto Santa Genoveva devem ser retomadas na próxima segunda-feira (18). O anúncio foi feito pelo presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Gustavo do Vale, que se reuniu, nesta segunda-feira, em Goiânia, com o governador Marconi Perillo (PSDB). Popularmente conhecido como puxadinho, ele tem por objetivo ampliar a capacidade de atendimento e o conforto da sala de embarque enquanto o novo aeroporto não é construído.

O presidente da Infraero informou que o contrato com a nova empresa para terminar o puxadinho vai ser assinado esta semana. A previsão é de que a reforma seja inaugurada até o fim do ano.

Assim como a construção do novo terminal, que está parada desde abril de 2007, a obra do puxadinho foi suspensa em dezembro do ano passado, depois de ter seu término anunciado e adiado várias vezes desde 2009. Uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) constatou que a paralisação das obras ocorreu devido a falhas no planejamento do processo licitatório feito pela Infraero. Falhas na condução do processo, segundo o TCU, restringiram a participação de um número maior de empresas na concorrência, conforme reportagem do jornal O Popular publicada no dia 2 deste mês.

O Aeroporto Santa Genoveva tem capacidade para receber 600 mil passageiros por ano, mas o número de embarques e desembarques é quase quatro vezes maior. Em 2010, foram 2,3 milhões de passageiros.

*Com informações do jornal O Popular e da TV Anhanguera.

Corinthians libera

cerveja para o Imperador Adriano.

AgNews

O Corinthians está mesmo disposto a tudo para fazer do atacante Adriano, principal reforço para a disputa do Campeonato Brasileiro, um jogador feliz durante sua passagem pelo clube. Bruno Mazziotti, fisioterapeuta do Alvinegro, confirmou que o camisa 10 não será obrigado a riscar bebidas alcoólicas de seu cardápio.
Segundo Mazziotti, qualquer atleta do elenco corintiano tem direito ao chamado “dia do lixo”, no qual as dietas são liberadas, com direito a vinho ou cerveja.

– Há um plano de reeducação alimentar para o Adriano, mas não se trata de uma dieta restritiva. O atleta tem direito a isso também e pode comer uma sobremesa, tomar um vinho ou uma cerveja uma vez por semana. Chamamos isso de dia do lixo.
O fisioterapeuta que ajudou Ronaldo Fenômeno a entrar em forma em 2009 e ser decisivo nas conquistas dos títulos paulista e da Copa do Brasil disse não temer que os supostos problemas de Adriano com bebidas alcoólicas voltem com a liberação.
– Não tememos qualquer tipo de problema com o Adriano. Se ele optar por trocar um chocolate por um copo de cerveja, tudo bem. Até porque não temos controle 24 horas sobre o atleta e se ele vai ou não ingerir bebida alcoólica.

Alexandre Mortágua faz funk ‘A loka do Rivotril’, com frases da mãe.

Depois de ficar em evidência por conta da briga com a mãe, que o levou a sair de casa no mês passado, Alexandre Mortágua agora ataca de DJ. Mas – por enquanto – é apenas uma brincadeira. Na onda das mixtapes, tendência dos anos 80 que voltou com força total – ele usa frases de “personalidades” do mundo gay para se divertir na mistura.

“É tudo uma grande brincadeira, mas estou me divertindo. Entrei nisso de música muito de entrão mesmo, não conheço muitos DJs, mas gosto muito do ‘DJ-playboyzada’ David Guetta e do Boss in Drama. Brincar com a situação ajuda, mas depende muito da cabeça da pessoa””, diz.
Em sua primeira mixtape, Alexandre usou frases da nova diva gay Luisa Marilac, travesti da Espanha, com mais de um milhão de acessos no Youtube. A segunda investida foi com frases de Vanessão, travesti do Nordeste, outro hit do Youtube.
E, na mais recente, Alexandre resolveu fazer uma brincadeira com o acontecimento com a mãe, Cristina Mortágua, que mudou a sua vida. Ele batizou a música de A Loca do Rivotril Vs.The World. O rapaz abre a sequência com Britney Spears (I Wanna Go) e as frases da mãe respondendo aos jornalistas com frases desconexas: “Ele foge de casa!” e “Ele se droga”.
“A situação já deixou de ser trágica e passou a ser engraçada! Vamos fazer um batidão bacana pra marcar as minhas apresentações nas baladas. Se for pra fazer uma mixtape ou escolher uma música pra ouvir na balada, os must-have são quase sempre os mesmos: Britney, Gaga, Kylie Minogue, Rihanna… resumindo: os pops chicletes”, define o estudante.
No final deste mês, ele toca no Teacher’s Club, em Vitória. Alexandre vai para a capital capixaba acompanhado da avó, que precisa sempre autorizar essas viagens.
“Eu não conheço muito da noite do Esprírito Santo, mas vou tentar levar o máximo do que eu conheço da noite carioca pra lá. Não tem como você falar de Rio sem falar de funk”, finaliza.
 

Idosa é presa após cortar cabo e deixar Geórgia e Armênia sem internet.

A georgiana Hayastan Shakarian, de 75 anos, foi presa em Armazi, na Geórgia, acusada de ter deixado sem internet a Geórgia e a Armênia em 28 de março. Ela teria cortado um cabo de fibra óptica enquanto escavava atrás de sucatas. A aposentada nega o crime. A idosa disse que estava apenas recolhendo lenha.

Hayastan Shakarian teria deixado sem internet a Geórgia e a Armênia em 28 de março. (Foto: Vano Shlamov/AFP)Hayastan Shakarian teria deixado sem internet a Geórgia e a Armênia em 28 de março. (Foto: Vano Shlamov/AFP)

Feira erótica exibe tecnologia dos brinquedinhos para adultos.

Esses vibradores são bonequinhos de homens que fazem parte da fantasia sexual de muitas mulheres: bombeiro, médico, policial e juiz. São importados e distribuídos pela Elos do Amor.
Os brinquedos eróticos mais luxuosos do mercado não se resumem mais aos objetos fálicos que vêm à mente quando se fala no assunto. Também ficou no passado o conceito de que a sex shop é uma loja de artigos só para pessoas solitárias, em busca de uma alternativa de prazer. As opções para serem usadas a dois são inúmeras e não param de crescer, o que não exclui as bonecas infláveis do mercado.
A 18ª Erótika Fair, realizada de 7 a 10 de abril de 2011, em São Paulo, reúne uma infinidade de artigos eróticos. Dos mais simples aos mais sofisticados. Entre os itens mais baratos e mais consumidos estão os cosméticos eróticos e pequenos brinquedos, segundo Evaldo Shiroma, organizador da feira. “Há produtos a partir de R$ 5”, conta ele, falando sobre os óleos de massagem comestíveis, pomadas que aquecem, dados que sugerem posições sexuais e perfumes afrodisíacos. “Além de baratos, esses itens servem como uma iniciação para o consumidor”, acredita Shiroma.
Segundo a empresária Waléria Albuquerque, que importa e distribui produtos eróticos, a tendência é que os itens se pareçam cada vez menos com brinquedos eróticos. E isso é visto na feira. Há muitos estimuladores sexuais em formato de bonecos (como patinhos de borracha), bichinhos de pelúcia que escondem um segredo em seu interior e vibradores em formatos nada sugestivos. “Agora, os consumidores querem opções que proporcionem prazer, mas, se alguém encontrar o produto, nem saberá do que se trata.”Quase reais
Apesar das novidades para os casais e da tendência de produtos mais discretos, um item continua fazendo sucesso entre os homens: as bonecas infláveis. As tradicionais, de plástico e com orifícios de borracha, não perderam seus fãs. Até as polêmicas bonecas inspiradas em mulheres famosas estão no Brasil, como as que sugerem uma transa com versões plásticas de Miley Cyrus e Beyoncé.

Mas esse tipo de boneca, mais antigo, tem uma grande concorrente: a “real doll” (boneca real, em tradução livre). Elas são feitas com um material chamado de “cyber skin”, que é semelhante à pele, e têm formas mais parecidas com as de uma mulher.

“Bonecas como essas podem custar até US$ 10 mil”, conta Shiroma. “Elas têm o peso de uma mulher real e a pele muda de temperatura se entrar em contato com a água quente, por exemplo. O cliente pode escolher os tons de pele, cabelo, olhos e até o número de orifícios –cada um custa US$ 250.”

Menos chocantes e bem aceitos pelo público são os masturbadores masculinos. Muitos deles sequer se parecem com um produto erótico (veja fotos no álbum). São forrados por um material de silicone que imita a sensação de uma penetração real ou de sexo oral –dependendo da textura escolhida pelo cliente.

Dando o exemplo: comportamento de risco pode ser influenciado por imagens de filmes e televisão.

Dando o exemplo: comportamento de risco pode ser influenciado por imagens de filmes e televisão (foto: razvan ionut/freedigitalphotos)

Um estudo que revisou mais de 25 anos de pesquisa na área aponta que ser exposto a imagens de atividades arriscadas – incluindo filmes, videogames e televisão – aumenta a incidência de comportamento de risco.

A metanálise buscou os dados colhidos em diversas pesquisas feitas entre 1983 e 2009 e que, juntas, somavam mais de 80 mil entrevistados entre 16 e 24 anos. Os estudos usavam diversos métodos, formatos de mídia e focavam diferentes tipos de comportamentos de risco. Os resultados da metanálise, liderada por Peter Fisher, pesquisador da Universidade de Regensburg, na Alemanha, foram publicados no periódicoPsychological Bulletin.

De acordo com o autor, os efeitos desse tipo de exposição midiática podem ser sentidos em curto e longo prazo, ou seja, os comportamentos ligados a essa exposição podem aflorar anos depois e quanto maior o tempo de exposição, maior o nível de riscos assumidos.

“A partir de nossa metanálise, a ‘glorificação do risco’, como aparece na TV e nas mídias de uma forma em geral, pode ter consequências e contribuir para aumentar os limites para os comportamentos arriscados e isso, como sabemos, também envolve consumo de álcool e outras drogas e, consequentemente, pode levar a fatalidades diversas, como as vistas no trânsito, por exemplo”, diz Fisher. “Nossos resultados vão à direção de diversas linhas de pesquisas atuais que corroboram a ligação entre risco e influência midiática e como isso afeta nossa cognição e nossas emoções.”

*com informações da American Psychological Association

Poucos sinais de vida em área esvaziada

O bair­ro de Odaka pa­re­ce ter pa­ra­do no tem­po des­de que foi aban­do­na­do, qua­se um mês atrás, lo­go de­pois do ter­re­mo­to se­gui­do de tsu­na­mi que de­vas­tou o nor­des­te do Ja­pão. Por­tas fo­ram lar­ga­das aber­tas, bi­ci­cle­tas fi­ca­ram aban­do­na­das. Um tá­xi va­zio es­tá es­ta­cio­na­do, so­zi­nho, di­an­te da es­ta­ção fer­ro­vi­á­ria. Pe­las ru­as va­zi­as, cã­es su­jos an­dam de um la­do pa­ra ou­tro e os úni­cos sons au­dí­veis são os la­ti­dos de­les e o gras­nar dos cor­vos.

Mui­tas ca­sas e es­ta­be­le­ci­men­tos co­mer­ci­ais da re­gi­ão es­ca­pa­ram dos da­nos ma­te­ri­ais cau­sa­dos pe­lo ter­re­mo­to se­gui­do de tsu­na­mi de 11 de mar­ço, mas os mo­ra­do­res ain­da não re­ce­be­ram per­mis­são pa­ra re­tor­nar à área es­va­zia­da por causa do va­za­men­to de ra­di­a­ção de uma usi­na nu­cle­ar pró­xi­ma da­ni­fi­ca­da pe­la pa­re­de de água do mar que avan­çou so­bre a re­gi­ão.
Con­tra­ri­an­do as re­co­men­da­ções das au­to­ri­da­des lo­ca­is, no en­tan­to, al­gu­mas pes­so­as re­gres­sa­ram a Odaka na ten­ta­ti­va de re­to­mar a vi­da que le­va­vam an­tes, mes­mo que o ce­ná­rio não se­ja o mais en­co­ra­ja­dor. “O ce­ná­rio é as­sus­ta­dor”, re­la­tou Ma­sa­hiko Saka­mo­to, de 59 anos, en­quan­to car­re­ga­va um ca­mi­nhão jun­to com mais du­as pes­so­as na quin­ta-fei­ra no es­ta­cio­na­men­to da em­pre­sa on­de tra­ba­lha. “To­do mun­do foi em­bo­ra. Acho que o nú­me­ro de pes­so­as que per­ma­ne­ce­ram é pró­xi­mo de ze­ro. Al­gu­mas pes­so­as vol­tam du­ran­te o dia. À noi­te é as­sus­ta­dor de­mais.”
A con­ver­sa com Saka­mo­to ocor­reu na ter­cei­ra vez em que ele vi­o­lou a área de res­tri­ção de 20 qui­lô­me­tros de raio es­ta­be­le­ci­da em tor­no do com­ple­xo nu­cle­ar de Fukus­hi­ma em meio à cri­se nu­cle­ar que su­ce­deu a ca­tás­tro­fe na­tu­ral. A ca­sa de Saka­mo­to, um su­per­vi­sor, tam­bém fi­ca den­tro da zo­na de res­tri­ção, mo­ti­vo pe­lo qual ele mo­ra ago­ra em um abri­go on­de o ní­vel de ra­di­a­ção de seu cor­po é me­di­do di­a­ria­men­te.
Ele sa­be dos pe­ri­gos que cor­re ao sa­ir pa­ra ir tra­ba­lhar, mas ale­ga que a pe­que­na fá­bri­ca de ci­lin­dros pa­ra má­qui­nas pe­sa­das on­de tra­ba­lha irá fa­lir se não con­se­guir re­to­mar ra­pi­da­men­te os ne­gó­ci­os. Ele acre­di­ta que a se­de da em­pre­sa po­de ser re­for­ma­da em uma se­ma­na, mas não en­quan­to per­sis­ti­rem os te­mo­res re­fe­ren­tes à ra­di­a­ção.
Fun­cio­ná­rios do go­ver­no ja­po­nês in­sis­tem em que é im­por­tan­te que as pes­so­as que mo­ra­vam na re­gi­ão es­va­zia­da – com po­pu­la­ção es­ti­ma­da em 70 mil a 80 mil ha­bi­tan­tes – con­ti­nu­em afas­ta­das, mas há pou­cos blo­quei­os ro­do­vi­á­rios e a po­lí­cia, na mai­or par­te do tem­po ocu­pa­da com ou­tras coi­sas, não tem for­ça­do as pes­so­as a fi­ca­rem lon­ge.

MASSACRE NO RIO!

Imagens mostram atirador e crianças fugindo em corredor.


O diretor de Políciatécnica e científica da Polícia Civil, Sérgio Henrique, que acompanha os trabalhos no IML, informou no início da noite desta quinta-feira (8) que há 12 corpos de crianças no local e outro está vindo do Hospital de Saracuruna, na Baixada Fluminense. A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou o nome dos 11 estudantes mortos por Wellington Menezes de Oliveira, 23, durante o massacre na escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo (zona oeste), na manhã desta quinta-feira. Outros três corpos ainda estão sendo identificados.

Veja abaixo a lista:

1- Karine Chagas de Oliveira, 14 anos

2- Rafael Pereira da Silva, 14 anos

3- Milena dos Santos Nascimento, 14 anos

4- Mariana Rocha de Souza, 12 anos

5- Larissa dos Santos Atanázio, (aguardando documento)

6- Bianca Rocha Tavares, 13 anos

7- Luiza Paula da Silveira, 14 anos

8- Laryssa Silva Martins, 13 anos

9- Géssica Guedes Pereira (aguardando documento)

10- Samira Pires Ribeiro, 13 anos

11- menina não identificada – aguardando identificação de familiares

O atirador disparou várias vezes contra os alunos de uma sala de aula de oitava série, com 40 alunos, no primeiro andar. Um sargento da polícia acertou o atirador na perna. No chão, ele se suicidou com um tiro na cabela, segundo a polícia.

Mais de 400 jovens estudam no local, em 14 turmas do 4º ao 9º ano. Segundo as últimas informações da Secretaria Estadual de Saúde, há 13 feridos, sendo dez meninas e três meninos –quatro estão em estado grave.

Como foi a tragédia em Realengo

Info sobre como ocorreu a tragédia em Realengo (Foto: Editoria de Arte/G1)

‘Ele atirava nas meninas para matar’, diz aluno que sobreviveu a ataque.

Mateus Moraes, de 13 anos, contou que conversou com o atirador (Foto: Fabrício Costa/G1)

O estudante Mateus Moraes, de 13 anos, contou que as meninas eram o alvo do atirador o ataque à Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. “Ele matava as meninas com tiros na cabeça. Nas meninas, ele atirava para matar. Nos meninos, os tiros eram só para machucar, nos braços ou nas pernas”, disse o aluno, acrescentando que o atirador saiu da sala cinco vezes para recarregar as arma, e a ação durou cerca de cinco minutos. O menino disse ainda que chegou a conversar com o atirador durante o ataque. “Estava no meio da aula de português quando ele apareceu. Só pedi a Deus para ele não me matar. E ele falou para eu ficar tranquilo que eu não ia morrer. Fiquei orando e pedindo a Deus para me guardar”, disse o aluno do 7º ano. Mateus não sabe se conseguirá voltar à escola depois de sobreviver ao ataque. “Não sei se vou voltar aqui por causa das lembranças”, disse o aluno, desolado.

Outros alunos também relataram momentos de pânico vividos no interior da escola na manhã desta quinta-feira (7).

A estudante Jade Ramos de Araújo, de 12 anos, disse que estava no meio de uma prova de Ciências quando começou a ouvir os disparos. “Todo mundo achou que era tiro, mas as professoras tentaram tranquilizar a turma”, contou a menina.

Segundo ela, as crianças gritavam muito, mas as professoras pediam para fazerem silêncio. “Elas diziam: ‘ele vai ficar nervoso, vai querer matar todo mundo'”. Ao entrar nas salas, ainda segundo a menina, o atirador disse para que as crianças ficassem de frente para a parede. “Ele pedia para virarem de costas para a parede e falava que ia matar todo mundo. Foi nessa hora que alguns conseguiram fugir”, relatou.

Nesse momento, de acordo com Jade, algumas crianças conseguiram correr em direção ao terceiro andar da escola. “Vi muito sangue nas escadas, crianças desmaiadas. Quando a gente subia tinha um bando de gente amontoada no chão. Os alunos foram pisoteados durante a fuga, as crianças iam fugindo subindo as escadas e algumas acabaram desmaiando”, disse.

A menina contou ainda que contou com a ajuda do irmão, de 17 anos, para sair da escola. “Meu irmão veio me buscar, ele procurou de porta em porta. O atirador ainda estava vivo quando ele entrou e conseguiu me tirar daqui”, falou.

Ísis Valverde fala sobre amor e desconversa sobre romance com Caio Castro.

De férias na TV após o sucesso como a Marcela em “Ti Ti Ti”, Ísis Valverde falou sobre amor em entrevista à “Caras”. “Uma descoberta constante. Ora tem seu ápice e, de repente, uma queda grande. Achava que a paixão era o amor ou vice-versa. Até hoje não consegui saber a diferença. Você pode estar apaixonada pelo seu amor. Então, para mim, ele é uma fênix, que renasce toda hora das cinzas”, conta ela, que rompeu, em março, o noivado com o empresário Luis Felipe Reif .

Em relação aos rumores sobre o suposto affair com o ex-colega de elenco Caio Castro, ela desconversa. “Estou solteira”, garante a atriz, que atualmente se dedica às filmagens de “Faroeste Caboclo”, em Brasília, longa inspirado na canção homônima da banda Legião Urbana.

Ao tentar se definir, a atriz, uma das mais requisitadas da nova geração, fica um tempo em silêncio antes de responder. “Cada dia descubro algo novo. Sou como o amor, uma criatura em desenvolvimento, que nasce e renasce o tempo todo. Uma hora estou madura, outra, criança. Tem gente que vai dizer: ‘por que ela está filosofando o tempo todo?’ Não estou. Só falo o que penso”.

Claudia Raia faz ensaio inspirado em Liza Minelli.

Usando peruca, atriz posa para a capa da revista “Junior”

Paschoal Rodrigues/Divulgação

Claudia Raia fez um ensaio inspirado em Liza Minelli para a revista “Junior”, voltada para o público gay. Ela foi clicada pelo fotógrafo Paschoal Rodrigues. Usando uma peruca de fios curtos, a atriz é a capa da edição de abril da publicação.

Com o fim da novela “Ti-ti-ti”, Claudia voltou a usar os cabelos castanhos. Ela havia tingido de loiro para a novela das 19h, encerrada no fim de março.

Paschoal Rodriguez
Paschoal Rodriguez

Sônia Abrão xinga twiteira que faz piada com seu programa.

Sônia Abrão não gostou da piadinha de uma usuária do Twitter, que escreveu falando da tragédia na escola Municipal Tasso da Silveira, em que um atirador matou 13 crianças nesta quinta-feira (7), em Realengo, no Rio de Janeiro. A pessoa em questão disse que a apresentadora iria salvar os assuntos de seu programa (A Tarde é Sua, na RedeTV!) durante uma semana.

“Tragédia de Realengo, salvando a pauta do programa da Sônia Abrão por uma semana!”, escreveu a twiteira.

Irada com o comentário, a apresentadora respondeu questionando a brincadeira com algo tão sério e triste e, por fim, mandou a moça para aquele lugar:

“Não é hora de piada idiota! Se você não tem coração, nem amor ao próximo nem respeito nesse momento trágico, vá pra puta que pariu!”.

Em resposta, a usuária do microblog publicou mensagens explicando que não estava fazendo piada com a tragédia e sim, com o programa de Sonia Abrão, que cobre diariamente assuntos relacionados a crimes.

“Muito legal ter que explicar piada! Ironia é coisa fina né minha gente!? DISCERNIMENTO! Fiz piada com o programa de TV e não com o desastre! Babies…”.

Na tarde de hoje, Sônia Abrão foi um dos assuntos mais comentados no Twitter entrando na lista do TT (Trending Topics).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s